Viagens ao Norte de Portugal – Outono 2006

 
 
Parece Minas Gerais, mas é Trás-os-Montes…

Ivanir Faria

 
No Minho, Norte de Portugal, pensei estar em casa, se virasse a próxima montanha.
É que nesse pequenino país há grande diversidade geográfica e no Norte as montanhas e rochas fazem-nos lembrar das serras mineiras…
 
 
O objetivo era conhecer as terras do Norte, das mais famosas às mais anônimas…
Foi assim que parti de Lisboa num ônibus e após seis horas de viagem estava em Mirandela.
Mesmo à meia-noite, hora da chegada, foi possível já sentir o ar diferente, mais puro.
A noite de lua permitia contemplar casitas de pedra, muito bem feitas, cheias de flores à porta com um cão sempre a ladrar.
Fiquei hospéde de uma família  numa grande casa recheada de móveis antiquíssimos, com toalhas em linho branco bordadas a mão a protegê-los de possíveis ranhuras pelos adornos, objetos de arte ali "poisados".
Meus olhos não sabiam se olhavam para os quadros, se para os pratos decorativos nas paredes, se miravam os jarros, os copos, os candeeiros… Perdi-me no meio daquela riqueza e só reencontrei-me quando vi à minha frente estantes com os mais antigos livros, sobre todos os assuntos.
Fui dormir sob lençóis com monogramas bordados e logo adormeci.  Acordei tarde… De certeza, cantou o galo, mas juro que não o ouvi.
Já era domingo e após a missa do meio-dia pude passear e descobrir as ruelas de "Vilas Boas". Por onde olhei, vi arte. Ao longe as imensas plantações de uvas e azeitonas certificam que ali não era Minas, mesmo estando plantadas em montanhas frias, de terra escura e cheia de pedregulhos.
Pelourinhos (sim, no plural pois eram vários!), casarios de pedras, de azulejos, muitos brancos, poucos pintados por um amarelo desmaiado… Em um largo, uma capela a São Sebastião. Logo à frente, mais uma dedicada a São Pedro..
Sim, Portugal é a terra das igrejas…
Mas quando subi o "cabeço", uma grande montanha, é que fui vendo mais de perto o Santuário de Nossa Senhora da Assunção.
Nunca vi nada igual, confesso. A mais bela igreja, na montanha mais alta. E tudo imenso, tão bem cuidado, tão perfeito na arquitetura, na arte, na criatividade.
Anjos existem. Vi-os ali em estátuas brancas, pareciam voar…
Também eu… Ali, tão perto do céu quase que tocava as nuvens e certificava-me se era real ou se era tudo um sonho…
Esta entrada foi publicada em Viagens. ligação permanente.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s