David, Um Gigante Que Resiste ao Tempo…

David: A Estátua Mais Famosa do Mundo

 

Ivanir Faria

 

Exposta no Museu Uffizi, em Florença, a estátua de David, escultura de Miguel-Ângelo

é uma das obras de Arte que mais atraem visitantes no mundo.

No incio da era de quinhentos, David foi a primeira estátua nua

colocada num lugar público. Esteve durante anos no centro de Florença,

na praça da Signoria.

Hoje há no mesmo lugar uma cópia. O original sofreu ao longo dos séculos

vários percalços: o bloco de mármore que Miguel-Ângelo dispunha

para a obra não era particularmente bonito nem perfeito.

Em 1527, após quinze anos de restauração, os florentinos andavam

cansados da tirania dos Médicis, o que desencadeou uma Revolução.

Nos tumultos, foi atirada de uma janela do palácio da Signoria uma

trave de madeira, a qual em vez de cair sobre os assaltantes,

quebrou em três pedaços o braço da estátua de David,

ficando ali os fragmentos esquecidos por três dias.

Foi então que um jovem de dezessete anos, Francesco Salviati

doeu-se com o que viu e junto com o amigo Giorgio Vasari penetraram

entre os soldados da guerra, sem ter idéia do perigo que corriam,

recolheram e resguardaram os pedaços em casa.

Mais tarde o duque de Cosimo requisitou-os e o braço partido pode ser restaurado

(Salviati tornou-se mais tarde aluno do Mestre Miguel-Ângelo e

exímio artista miguelangelesco).

Em 1843 a estátua foi limpa com ácido clorídrico, solução altamente corrosiva,

causando-lhe danos irreversíveis e em 1991 o turista

Pietro Cannata teve os seus quinze minutos de fama dando

umas marteladas no pé esquerdo de David.

No verão de 2003 uma polêmica eclodiu no mundo das Artes

quando a lavagem da estátua foi anunciada,

em preparação para a comemoração dos seus 500 anos de existência.

Um grupo de quarenta escritores, historiadores,  críticos de arte e

restauradores italianos e estrangeiros chamaram de “trabalho sujo” o de 

lavar David.

Mesmo que justificassem usar apenas paninhos molhados em água pura

e duplamente destilada durante 15 ou 20 minutos, como se lava um bebê,

O mundo da arte angustiou-se com a limpeza.

Passadas limpeza, polêmicas e comemorações, resta-nos a magnífica obra-prima:

o Gigante jamais se cansa de fitar o imigo, armado com apenas uma pedra,

apesar de apresentar um processo de sulfatação com microlesões

comuns no mármore, o que se resolveria com outra limpeza a seco

ou com água duplamente destilada, se isso não causasse novo

furor nos defensores da preservação in natura das obras de Arte…

Esta entrada foi publicada em Arte e Vida. ligação permanente.

Uma resposta a David, Um Gigante Que Resiste ao Tempo…

  1. Alessandro diz:

    Ivanir,
     
    tenho muito orgulho de ter tido você como professor de português. Lamento não ter sido o bom aluno que poderia ser… Lamento ter usado de via oblíqüa, tentando colar certa feita…
     
    Como lamentar não vai ajudar muito, agradeço ter partilhado a dedicatória de minha monografia com você. A cada dia vejo o quão merecido foi. Agradeço ter me mostrado a importância da leitura. Hoje vejo a significância de tudo isso. Se faço um mestrado hoje, não posso deixar de consignar que uma parte é devida a você.
     
    Muito Obrigado. Fica com Deus.
     
    Abraços,
     
    Alessandro Siqueira

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s