Quando Morre o Cão Que Amamos II

Dolly, Por Que Partiste???

Dolly

Dolly era a cadelinha de D. Fátima. Nasceu em 1995, viveu 15 anos e pouco antes do Natal de 2010 nos deixou. Seu nome poderia ser “Boneca”, se traduzido do inglês, mas foi a atriz Dolly Parton que lhe emprestou o nome, talvez devido à semelhança do tamanho dos seios, sabe-se lá… Era tão pequenina que ia de ônibus, (escondida dentro de uma mala de alças) com a dona para o trabalho.

Dolly - Óleo Sobre Tela de Daniel Alves

Dolly era muito querida, muito mimada. Em 2007 ganhou um retrato pintado a óleo executado magistralmente por Daniel Alves, amigo de sua dona: ficou eternizada!

Minha Última Visita à Dolly

Quando eu ia visitar sua dona, Dolly chegava de mansinho, cheirava-me para certificar que eu não eram um inimigo. Logo eu a enchia de carinhos e ela retribuía se esfregando em minhas pernas. Depois da sessão de fotografias, ela se aconchegava no sofá e ressonava… Pouco antes do Natal reencontrei-a adoentada. Foi internada para que recebesse cuidados intensivos enquanto sua dona visitava a Mãe, também muito doente. Nesse fim de semana (19/12) Dolly partiu, longe dos olhos da dona. Talvez para lhe poupar de ver mais sofrimentos…

 

Dolly Parton

 

Esta entrada foi publicada em Arte e Vida, Espiritualidade. ligação permanente.

Uma resposta a Quando Morre o Cão Que Amamos II

  1. muinto sofrimento e muinta saudade

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s