Pavia e Sua Capela de 7 Lapas

Anta de Pavia, Ermida de São Dinis

Na Arqueologia, Anta ou Dólmen é um monumento sepulcral pré-histórico. São datados desde o V milênio a.C. até ao fim do II milênio a.C. Tratam-se de túmulos coletivos delimitados por pedras mais ou menos verticais que servem de esteios e cobertos por uma grande laje horizontal, chamada de mesa ou chapéu. O nome deriva do Bretão dol= mesa e men= pedra.

Anta Transformada em Ermida

As Antas são encontradas em vários países e são muito comuns na Península Ibérica. Em Portugal, mais ao sul, em Pavia, no Alentejo, uma se destaca, não só porque sobreviveu: foi transformada em capela.  Alguém teve a ideia de erigir o restante com tijolos e cimento. Depois foi dedicada a São Dinis, um mártir decapitado pelos Romanos.

Dois Anjos Emolduram D. Dinis

Sete lapas servem de esteio para esta Anta de Pavia.  Para ser transformada em ermida bastou fechar as frestas e erigir a frente, construir à porta uma escada de dois degraus e adornar o interior com singelos azulejos…

Tive Mais Sorte Que Saramago: Encontrei a Capela de Portas Abertas...

Na década de 1990 José Saramago percorreu Portugal de norte a sul para escrever o livro “Viagem a Portugal”. Em Pavia naqueles tempos a capela encontrava-se fechada ao público, fato que o escritor lamentou…

Ao Lado do Que Resta do Altar, Uma Senhora Lê o Convite Redigido em Três Idiomas: "Visite a Casa Manuel Ribeiro de Pavia Situada no nº 11"

Uma bancada coberta dos característicos azulejos portugueses serve de base para as desiguais jarras com flores artificiais. À frente o lugar vazio do antigo painel de S. Dinis em azulejos que se encontra em restauro…

Um Pouco da História de Pavia

Há quase oitocentos anos chegou a Portugal uma colônia de imigrantes italianos, oriundos de Pavia. Seu chefe chamava-se Roberto. Talvez após se apresentar:

_”Chamo-me Roberto, de Pavia.”

Alguém tenha gostado do som daquela palavra P A V I A e tenha manifestado a ideia de com este nome batizar a aldeia… Com o mesmo nome ficou “batizado” o Artista Manuel Ribeiro nascido em Pavia que rumou à Lisboa para “desenhar e passar fome” (palavras de Saramago) cujas obras podem ser vistas no nº 11 em uma Casa de Cultura a ele exclusivamente dedicada.

Coreto de Pavia

Da Alta Torre o Relógio - ao Meio, e Não no Topo - Marca o Tempo: Para Que Subir Mais???

Cada Janela da Casa Grande é uma Varanda Para o Alentejo...

Nas casa Baixas de Altas Chaminés as Portas São Serradas ao Meio e Servem às Vezes de Janelas

O Pouco Movimento Permite ao Cão Tomar ( Sem Receios...) o Lugar do Tapete...

A Singela Igreja Matriz de Pavia

E Também Singelo, Mas Não Menos Interessante Interior

Das Ruas Estreitas e Desertas Avista-se a Amplidão do Alentejo!

Altar (?) Que se Presta a Mural de Recados: Azulejos em Restauro e Visite a Casa...

3 Exemplares Únicos

Em Portugal existem apenas 3 dólmen-capelas. Além de Pavia, existem mais uma em São Brissos e outra em Alcobertas.

Dólmen de Alcobertas - Rio Maior

As capelas de Pavia e Brissos são ermidas isoladas. O monumento típico do neolítico de Alcobertas deu origem à Igreja Matriz. Todas elas se encontram-se entre os dez maiores dólmens da Península Ibérica.

Anúncios
Esta entrada foi publicada em Arte e Vida, Para Ler e Guardar..., Viagens. ligação permanente.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s