A Lenda do Galo de Barcelos

Barcelos: Tão Airosa Cidade!

D. Afonso Henriques Montado no Galo de Barcelos - Rotunda em Santa Marta de Corroios

José Saramago é o autor das seguintes palavras: “Barcelos é tão airosa cidade que merece perdão por querer condenar o galego, mais ainda tendo criado o galo que a salvou de remorsos”. A citação do livro “Viagem a Portugal” só terá sentido para aquele que:

1º: Visitar Barcelos e verificar se é mesmo airosa;

2º: Conhecer a Lenda do Galo de Barcelos;

3º: Apreciar o galo de barro em suas variações mil…

À Conquista de Portugal...

Pode Um Galo Assado Salvar Um Inocente?

Em Barcelos pôde. E para prová-lo, guarda o espólio do Museu Arqueológico no Paço dos Condes de Barcelos um cruzeiro seiscentista em pedra. Neste Cruzeiro do Senhor do Galo encontra-se esculpida a imagem do enforcando (uma vez que foi salvo, antes de ser o enforcado) aos pés de Cristo. Mas o que tem esta peça a ver com o galo? E com um condenado? Vamos esclarecer recontando a lenda…

Reza a lenda que os habitantes de Barcelos andavam alarmados com um crime, do qual ainda não se tinha descoberto o criminoso. Aparecendo por lá um galego alguém apontou-lhe o dedo: _É ele! O coitado que apenas por ali passava a caminho de Santiago de Compostela em cumprimento duma promessa tornou-se suspeito.  Apesar dos seus juramentos de inocência, as autoridades resolveram prendê-lo.

_”Será enforcado!” Sentenciou o juiz.  Inconformado, o homem pediu que o levassem à presença do juiz que o condenara. Na residência do magistrado, que nesse momento se banqueteava com alguns amigos o galego voltou a afirmar a sua inocência, mas de nada adiantou. Perante a incredulidade dos presentes, apontou para um galo assado que estava sobre a mesa e exclamou:

_”É tão certo eu estar inocente, como certo é esse galo cantar quando me enforcarem.

O juiz empurrou o prato para o lado e ignorou o apelo, mas quando o peregrino estava a ser enforcado, o galo assado ergueu-se na mesa e cantou. Compreendendo o seu erro, o juiz correu para a forca e descobriu que o galego se salvara graças a um nó mal feito. O homem foi imediatamente solto e mandado em paz.

Alguns anos mais tarde, o galego teria voltado a Barcelos para esculpir o Cruzeiro do Senhor do Galo em louvor à Virgem Maria e a São Tiago, monumento este que se encontra no Museu Arqueológico de Barcelos.

Eu, O Galo e D. Afonso Henriques...

Numa rotunda em Santa Marta de Corroios encontra-se um monumento característico de Portugal: Montado no Galo de Barcelos cavalga o rei D. Afonso Henriques… Tão longe de sua terra, sinal de que quanto mais para Sul, mais conquistas para trás, no Norte deixara.

Anúncios
Esta entrada foi publicada em Arte e Vida, Para Ler e Guardar..., Travel, Viagens. ligação permanente.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s