Santa Mônica e as Orações das Mães

Uma Mãe Torna-se Santa

A devoção a  Santa Mônica tomou novo incremento quando ela foi declarada Padroeira das Associações das Mães Cristãs. De Santa Mônica podem as Mães aprender o interesse que devem ter pela  salvação dos filhos.  Vamos conhecer sua história…

Santa Mônica

Foi o Papa  Alexandre III que colocou o  nome de Santa Mônica entre Santos da  Igreja Católica. Sob o pontificado de Martinho V (1430) foi o  corpo de Santa Mônica transportado para  Roma e  depositado na Igreja de Santo Agostinho, que era seu filho.

A Conversão de Santo Agostinho

Um Pouco Sobre Sua Vida

Na adolescência, incumbida de ir à adega para buscar o vinho, Mônica  se deu à tentação de experimentar um gole e tornou-se adapta da bebida. Um dia, durante um atrito doméstico uma criada perante todos a chama de “beberrona”. A humilhação e a vergonha fizeram Mônica jurar nunca mais ingerir álcool.
Mais tarde casa-se com um rude homem da cidade de  Tagaste, na África. Seu nome era Patrício, filho de  família ilustre, mas pobre e pagão. O caráter do marido era para a esposa as mais duras fontes de sofrimentos e  provações. Mas  Mônica  sofreu tudo  com paciência e mansidão, respondendo a Patrício por obras de uma caridade e pela oração.  Mônica defendia o marido e não tolerava que o difamassem em sua presença. Deus recompensou esta dedicação, tendo Mônica a satisfação de ver a conversão do marido.

Do seu matrimônio nasceram dois filhos, Agostinho e Navígio e uma filha Perpétua,  que se fez  religiosa.  Agostinho causava grandes amarguras  à mãe, até que enfim,  pela conversão e completa  mudança de vida, se lhe tornou uma  glória.

Aos dezessete Agostinho perdeu o pai. Para continuar os estudos, mudou-se  para Cartago. Mas de lá sempre chegavam as más notícias que desolavam o coração de Mônica. que continuamente  recebia do filho. Tão magoada ficou, que chegou a fechar a  este  a porta da sua casa. Deus, porém,  consolou-a em visões misteriosas, mostrando-lhe a futura conversão de Agostinho. Confortada desta sorte, consentiu que este tornasse a morar em sua casa e lhe assentasse à mesa.

A Mãe passou a rezar constantemente pela conversão do filho e  pedir a outros que o mesmo fizessem. Recomendou-o a diversos bispos, entre estes a um, que também tinha pertencido à seita dos Maniqueus,a qual Agostinho pertencia causando o maior desgosto em Mônica. Este muito a animou, dizendo-lhe: “O coração de  teu filho não está ainda preparado, mas Deus determinará o momento. Vai e  continua a rezar: é impossível que se perca um filho de tantas lágrimas”.

                                                De fato, soou a hora da conversão de  Agostinho em Milão. De lá seguiu com a Mãe para a África. Chegando a Ostia, disse-lhe ela:  “Vendo-te hoje cristão Católico, nada mais me resta a  fazer neste mundo”.  Caiu em uma doença grave e morreu, tendo alcançado a  idade de 56 anos. O Filho Agostinho, nas suas célebres “Confissões” , erigiu um monumento indelével à memória da santa mãe.

Santo Agostinho um dos santos mais conhecidos do Catolicismo. Autor de precisos textos filosóficos e espirituais de caráter atemporal que vale a pena procurar conhecer…

Esta entrada foi publicada em Arte e Vida, Espiritualidade, Livros, Para Ler e Guardar.... ligação permanente.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s