Dona Beja: Renasce o Mito

O Renascimento de Dona Beja

Maitê Proença

Funcionários da prefeitura de Estrela do Sul– MG escavavam uma área de 500 metros quadrados na Praça da Matriz para a  construção de uma fonte quando encontraram duas ossadas, criando a expectativa que uma delas provavelmente seria de Dona Beja. A descoberta reacendeu as histórias e mistérios da lendária Beja, motivo pelo qual um antigo post do meu blogue tivesse inúmeras visitas. Decidi investigar mais…

Beijo: A Flor...

Dona Beja foi uma mulher que encantou muitos homens no século 19. Virou personagem de novela da extinta Rede Manchete, ganhou fama e proporcionou fama internacional à atriz Maitê Proença. Estaríamos diante de uma achado histórico?
Enquanto os restos mortais permaneciam no local em que foram encontrados e onde teria existido um cemitério até 1925, a prefeitura da cidade mineira estudava a forma de mandar examinar as ossadas e ter respostas conclusivas com testes de DNA, uma vez que Dona Beja deixou duas filhas e ainda hoje tem descendentes…

Muitas Famas Graças a Dona Beja

Foi graças a Dona Beja que em 1976, o então Estilista, Clodovil Hernandez ganhou o prêmio máximo no programa “8 ou 800?” respondendo perguntas sobre a “Dona de Araxá”. Mas não foi só dinheiro que Dona Beja, já depois de muitos anos falecida, legou ao costureiro: ali ele começou a sua carreira na TV…

Clodovil Em Seu Escritório Nos Anos 70

 Também graças a Dona Beja, Minas Gerais ganhou uns bons hectares de terra. A região do Estado de Minas Gerais hoje conhecida como Triângulo Mineiro pertencia a Goiás até 1816. Esta área foi integrada a Minas graças “à beleza de Dona Beja que, de tão extraordinária, modificou o mapa do Brasil”.

Mas a História explica-se por fatos bem menos poéticos…

Pairam Dúvidas de Que Esta Seja Uma Foto de Dona Beja...

Já havia perdido a mãe, aos 13 anos quando Anna Jacintha de São José foi raptada em Araxá. Foi o ouvidor da corte de Dom João VI quem se encantou com sua beleza – roubando o nome de uma flor – beijo – para o devotar à amada – e a levou para viverem juntos em Paracatu, cidade a 350 quilômetros e que na época pertencia ao Estado de Goiás.
O ouvidor foi denunciado como o assassino do avô de Beja. A saída foi pedir a Dom João VI  que integrasse parte de Goiás ao território mineiro. Como tinha boas relações com o governador de Minas e não com o de Goiás, o ouvidor pensava sair ileso. O fato de que “a beleza de Dona Beja é tão extraordinária que modificou o mapa do Brasil” não é de todo mentira… Mas mesmo assim não se  conseguiu abafar o assassinato do avô de Beja pelo ouvidor.

Esta Seria a Única Foto de Dona Beja, Tirada Pouco Antes de Sua Morte, em 1873 Por Infecção, aos 73 Anos

Triângulo Mineiro, Triângulo Amoroso…

D. João VI então transferiu o Ouvidor para o Rio de Janeiro, mas Beja decidiu retornar para Araxá, cidade onde foi criada. Para se manter, ela abriu a Chácara Jatobá, um bordel refinado onde atendia os homens que queria, aos preços que pedia. Beja teve dois grandes amores: Antônio Sampaio, namorado de infância, e o advogado João de Mendonça. Sampaio era casado e pai da filha de Beja, Tereza. Já o advogado era pai da filha mais nova, Joana. Este triângulo amoroso Antônio/Beja/João, típico dos romances e folhetins causou furor à volta daquela que viria a ser um ícone da beleza e da determinação, até hoje envolto em mistérios…

Rede Manchete: Sucesso Internacional Graças à Novela D. Beija

Esta entrada foi publicada em Arte e Vida, Assunto Sério, Para Ler e Guardar.... ligação permanente.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s