Sobrenome Corrêa 2

Passado Histórico da Família Correia

No século XIX e talvez mesmo anteriormente, muitas pessoas escreviam Corrêa em vez de Correia. A grafia em nada alterava a pronúncia que era Correia, tal como o substantivo que deriva o sobrenome (correia de couro de animais). Hoje há as duas grafias em diversos ramos das famílias: “Correia” ou “Corrêa”.

Brasão da Família Correia Lima

Luís de Camões no Canto III, 222 de “Os Lusíadas” escreveu:

Mandas me, o Rei, que conte declarando,/ De minha gente a grão genealogia:/ Não me manda contar estranha história:/ Mas mandas me  louvar dos meus a glória.

A Família Correia

Uma das mais antigas famílias portuguesas, os Correias, teve seu apelido originado em D. Paio Soeiro Pais Correia. Era filho de D. Paio Ramires que era um rico homem português da corte do Rei D. Afonso VI de Leão e Castela (Espanha). Paio Soeiro casou-se com D. Urraca Soares, ela filha de Soeiro Guedes e neta de D. Gueda, o Velho. O casal teve filhos nos quais propagou o apelido Correia. O solar da família dos Correias é o couto de Farelães, em Braga, norte de Portugal.

A família era de tão ilustre linhagem que recebeu do bispo de Malaca, D. João Ribeiro Gaio os seguintes versos:

Os que cercados de mouros/ nese Monte Mor Velho/ pelas correas e couros/ comeram por não ter louros/ tem taes armas por espelho.

Igualmente, Manuel de Souza da Silva se lembrou da família Correia cantando:

Farrelães e o solar/ Que aos Correias deu o ser/ E Dom Payo veio a ter/ O qual fez o sol parar/ Para os mouros vencer.

Timbre: Insígnia que se coloca sobre o escudo de armas e que marca o grau de nobreza.

Os Cinco Brasões de Cinco Linhagens

As armas dos Correias são de Ouro fretado de vermelho, de seia peças. Timbre com dois braços armados de Prata, recamados de ouro, com as mãos de carnação espalmadas, os pulsos passados em aspa e atados de vermelho.

As armas dos senhores de Farelães, recordando a ligação com a família Aguiar usam armas  vermelhas com uma águia negra estendida, armada e membrada de Ouro. Traz um escudete também em Ouro fretado de vermelho, de seis peças, brocante sobre a águia. Timbre: a águia do escudo com uma correia vermelha saindo do bico.

O feitor de Flandres Diogo Fernandes Correia prestou grandes serviços de dinheiro em 1488 e recebeu do Imperador Maximiliano I novas armas para ele e seus descendentes. O esquartelado (escudo de quatro lados) tem o primeiro em Ouro com uma águia negra de duas cabeças que traz no peito uma lua crescente. O segundo é vermelho e tem três vieiras em Prata. O terceiro também vermelho traz uma torre de Prata e o quarto, igualmente vermelho traz três escudetes em Prata com cruz vermelha. Timbre: águia com um pendente de torçal vermelho com um escudete saindo do bico.António Correia foi para a Índia, designado como capitão-mor de uma frota para lutar contra o Rei de Barém.  A Índia era um Estado governado por Diogo Lopes de Sequeira onde o rei de Barém guerreava contra o vassalo de Portugal Rei de Ormuz. António Correia venceu esta guerra e D. João III, por carta datada de 14-01-1540 acrescentou-lhe suas armas da seguinte forma: Esquartelados: primeiro vermelho com uma cabeça de mouro cortada em Prata e coroada de Ouro. O segundo e o terceiro vermelhos com uma águia negra estendida, membrada de Ouro e um escudete de ouro fretado de vermelho de seis peças. Brocante sobre o corpo da águia (Correia). O quarto contra-esquartelado: o priemiro e o quarto azuis com uma cruz de ouro (Teixeira); o segundo e o terceiro verdes com cinco flores de lis de Ouro postas em sautor (Mota). Timbre: um braço armado de prata com a cabeça de um mouro pendurada. Seus descendentes continuaram a usar o sobrenome Correia de Barém ou Baharém.

Os Correias de Belas ligaram seu sobrenome aos de Atouguias. Cruz de  Ouro sobre o vermelho, quatro flores de lis, também em Ouro. Timbre. dois braços de Prata com as mãos de carnação espalmadas, os pulsos em aspa e atados com uma correia vermelha. Para os Correias de Belas D. João Ribeiro Gaio escreveu:

Couros e Correias são/ os deste progenitores/ Atouguia também são/ e de Belas são senhores.

Anúncios
Esta entrada foi publicada em Arte e Vida, Assunto Sério, Para Ler e Guardar.... ligação permanente.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s